01/07/2017

Hi!

Meu Deus, quanto tempo faz que eu não dou as caras por aqui? kkk'
Vim mostrar a vocês que eu estou viva e que em breve estarei de volta. Eu ando muito ocupada resolvendo uns assuntos pessoais e não tive tempo para escrever, mas nesse mês de Julho eu pretendo voltar com capítulos novos para vocês.
Me perdoem pela demora, mas como vocês sabem, eu tenho vida fora daqui uashuash'.
É isso, um beijo e fiquem com Deus ♥.

10/05/2017

Possessive Love - Capítulo 9 - Madrugada Confusa



Skylar Houck.
— Dá pra parar de me chamar assim?! — Bufei, revirando os olhos.
— Na verdade, não — deu uma risada, que só me fez ficar mais irritada. — Adoro a cara que você faz quando tá brava.
— Você é doente!
— Você já disse isso, docinho — sorriu sínico.
Soltei um grunhido irritado e batí o pé no chão, cruzando os meus braços.
— Será que podemos manter uma conversa como dois adultos? — Perguntei, já sem paciência. — Aonde estamos?
— Ora, estamos na nossa casa, meu amor — debochou, relaxando em sua poltrona.
Nossa casa? — Disse indignada.
— Era o que queríamos antes de você se rebelar, não? — Perguntou, franzindo o cenho.
— Me rebelar? — Aumentei meu tom de voz.
— Acaso você está surda, porra? — Irritou-se.
— Você está louco se pensa que eu vou ficar presa nesse recinto com você — disse séria. — Eu quero ir para casa, exijo que abra essa merda de porta agora!
— Você não vai a lugar algum.
— Você é passado, é difícil entender? — Disse frustrada. — Justin, te dei uma chance e você não soube aproveitar. Me tratou pior que a um cachorro, não irei cometer esse erro novamente, independentemente do que sinto.
— E o que você sente? — Por um mero segundo, vi faíscas de esperanças em seus olhos.

01/05/2017

Love The Way You Lie - Capítulo I - Ainda amo você.


Flashback.
Fitei pela vigésima vez aquele garoto dos cabelos dourados, soltando um suspiro em seguida, que minha melhor amiga ao meu lado não deixou passar despercebido.
— Eu ouvi isso — disse com um sorriso divertido.
— Cala a boca, Ash. Não sei do que está falando — corei violentamente, escondendo o rosto entre as mãos e dando uma risadinha.
— Não se faça de sonsa. Eu te conheço muito bem, Srta. Angelina. Sei que está suspirando de amores pelo garoto de cabelos loiros ali — continuou com sua expressão divertida.
— Continuo não sabendo do que está falando.
— Tudo bem, pode fingir que não sabe de nada. Mas como eu disse, eu lhe conheço muito bem e sabemos que estou certa — sorriu maligna. — Fique tranquila. Eu super apoio vocês, afinal, ele é um gato. Mas quem não irá gostar nada disso são os seus pais, você sabe muito bem os amigos que ele vem ver na porta da escola.
Assenti, suspirando frustrada e voltando a olhá-lo. Estava na hora da saída, a maioria dos alunos já havia ido embora, outros estavam apenas conversando ou, como Ashley e eu, estavam esperando por alguém. No nosso caso era pela tia de Ash, que viria buscá-la e me daria uma carona.
— Por que não vai falar com ele? — Perguntou ao me cutucar.
— O quê? Tá maluca? — Disse assustada. — Eu nem ao menos sei o nome dele!
— Simples: vá até lá e pergunte! - Disse como se fosse óbvio. — Ou melhor, deixe quieto.
A encarei confusa por sua mudança drástica de opinião e ela logo se explica:
— Ele está vindo para cá — sussurrou, sorrindo maliciosa.
Antes que eu abrisse a boca para dizer algo, uma voz rouca soa atrás de mim:
— Angelina? — me virei assustada, dando de cara com dois olhos castanho-mel.
Abri um pequeno sorriso tímido e assenti, o fazendo sorrir também.
— Prazer — estendeu sua mão em minha direção. — Sou Jason!

20/04/2017

Love The Way You Lie - Prólogo


Angel Baker-Bieber.
Sentia o sangue escorrer do canto de minha boca. Havia arranhões e cortes por todo o meu corpo. As feridas ardiam, queimavam. Não mais do que as feridas do meu coração. O mesmo se encontrava em carne viva. Minhas lágrimas já não saiam mais. Minha garganta doía e meus olhos ardiam. Estava escuro, muito escuro. Eu tinha medo, e não havia motivo para eu estar ali.
Justin parecia estar possuído, destruído por dentro. Algo o atormentava, e eu sabia disso. Mas ele não se abria comigo, apenas se trancava no escritório e se drogava, até suas veias não aguentarem mais.