10/05/2017

Possessive Love - Capítulo 9 - Madrugada Confusa



Skylar Houck.
— Dá pra parar de me chamar assim?! — Bufei, revirando os olhos.
— Na verdade, não — deu uma risada, que só me fez ficar mais irritada. — Adoro a cara que você faz quando tá brava.
— Você é doente!
— Você já disse isso, docinho — sorriu sínico.
Soltei um grunhido irritado e batí o pé no chão, cruzando os meus braços.
— Será que podemos manter uma conversa como dois adultos? — Perguntei, já sem paciência. — Aonde estamos?
— Ora, estamos na nossa casa, meu amor — debochou, relaxando em sua poltrona.
Nossa casa? — Disse indignada.
— Era o que queríamos antes de você se rebelar, não? — Perguntou, franzindo o cenho.
— Me rebelar? — Aumentei meu tom de voz.
— Acaso você está surda, porra? — Irritou-se.
— Você está louco se pensa que eu vou ficar presa nesse recinto com você — disse séria. — Eu quero ir para casa, exijo que abra essa merda de porta agora!
— Você não vai a lugar algum.
— Você é passado, é difícil entender? — Disse frustrada. — Justin, te dei uma chance e você não soube aproveitar. Me tratou pior que a um cachorro, não irei cometer esse erro novamente, independentemente do que sinto.
— E o que você sente? — Por um mero segundo, vi faíscas de esperanças em seus olhos.
— Não importa mais, já disse que você ficou no passado. Não temos mais nada em comum, não somos nem mesmo amigos, apenas meros conhecidos.
Justin trincou o maxilar e me encarou por um longo tempo, seu olhar estava vago. Quando o vi soltar um suspiro e me encarar de forma mais branda, tive esperanças que ele houvesse entendido que não iria mais ocorrer nada entre a gente e iria me libertar. Porém, esqueci-me de como essa peste consegue ser irritante quando quer.
— Já disse que você não vai a lugar algum. Volte para o seu quarto, tenho coisas a fazer — respondeu sem me olhar, mexendo em seus papéis.
— Porque está fazendo isso?
— Porque eu quero — respondeu seco. — E considere como troco pelo chute que me deu.
Ao me lembrar as circunstâncias em que lhe chutei, senti minhas bochechas esquentarem como se estivesse com febre. Decidi que não havia mais o que fazer ali, teria que sair dessa casa por minha própria conta. Me virei para sair, e antes que pudesse virar a maçaneta, ouvi sua voz dizendo:
— Sei que me odeia pelo que fiz no passado, mas muita coisa mudou enquanto esteve fora. Só quero mantê-la em segurança.
Após isso, saí como um raio de seu escritório. Quando já estava no quarto, me pus a refletir o nosso reencontro. Senti borboletas as borboletas em meu estômago fazerem festa, quando pensei sobre o que ele quis dizer quando disse que queria me manter em segurança.

Como não havia nada para fazer, o que me restava era dormir o dia todo. Por volta das 1h, despertei sentindo meu estômago roncar. Eu não havia comido nada há um bom tempo. Após jogar uma água no rosto para despertar, desci para a cozinha em busca de comida.
Demorei um pouco para encontrar a cozinha, aquela casa era bem maior do que eu imaginava. Procurei por alguma saída, mas todas as janelas tinham grades. Havia uma porta dupla de vidro na cozinha que dava vista para o maravilhoso jardim que havia atrás da casa, porém, como a porta da frente, ela era aberta apenas com senha.
Abri a geladeira e descobri um verdadeiro paraíso, Bieber havia feito compras e não economizou na hora de comprar diversas besteiras. Peguei uma barra de chocolate e alguns ingredientes para fazer um lanche. Devorei todo o chocolate enquanto montava meu delicioso sanduíche de peru, encontrei suco de uva já pronto nos fundos da geladeira e pus a procurar por um copo.
Depois de ter sido bem alimentada, e de lavar a louça suja e guardar, resolvi procurar por alguma televisão ou algo que me ocupasse o tempo. Eu havia dormido o dia todo, então não teria sono tão cedo. Enquanto cruzava o hall de entrada em direção a sala de estar, ouvi barulhos vindo do escritório do meu carrasco.
A porta estava entreaberta, então a empurrei devagar para não chamar a atenção. Descobri que o barulho nada mais era que dos objetos que estavam sobre a escrivaninha sendo jogados ao chão. No lugar deles sobre a mesa, estava uma mulher de cabelos negros, completamente nua, com Bieber no meio de suas pernas.
Senti meu coração quase pular pela boca. Tentei me afastar da porta, mas minhas pernas se tornaram gelatinas. Meus olhos começaram a arder, e me praguejei por sentir ciúmes diante àquela cena. Consegui juntar o restinho de dignidade que ainda me sobrava e me virei para sair dali. Mas paralisei assim que ouvi Justin chamar por meu nome.
Me virei imediatamente temendo ter sido pega, porém Bieber não havia me chamado, eles tão pouco me viram. Justin havia gemido o meu nome. Diante desta surpresa, corri escada acima, ouvindo a garota começar uma discussão com ele sobre quem era Sky. Quando já estava dentro do quarto, soltei o ar que nem havia percebido que segurava. Fiquei um longo tempo escorada na porta, tentando assimilar o que eu tinha acabado de presenciar.
Quando decidi caminhar em direção a cama, ouvi passos no corredor. Corri para cama – não sem antes bater o dedo mindinho na perna da cama por conta do nervosismo – e me cobri rapidamente, fingindo que dormia.
Segundos depois, a porta se abriu e Justin passou por ela, seguido por um odor forte de bebida. Ouvi ele chamar meu nome, enquanto jogava uma garrafa no chão.
— Sky? — chamou novamente. — Tá acordada?
Ouvi seus passos se aproximando e logo senti o colchão ao meu lado afundar. Meu coração estava batendo tão forte e rápido, que tive que agradecer por seu nível de embriagues ser alto, do contrário ele me ouviria.
De um instante ao outro, os lábios de Justin estavam pressionando os meus com força. Meu corpo inteiro se enrijeceu e desejei me afastar, porém não queria que ele soubesse que eu estava acordada. Alguns segundos se passaram até que ele finalmente se afastasse. Reprimi a vontade de abrir os olhos e senti uma de suas mãos acariciar meu rosto, enquanto ele murmurava palavras desconexas.
O ouvi se afastar e pegar a garrafa do chão. Abri os olhos minimamente e vi Justin sair tropeçando do quarto enquanto soluçava por conta da bebida. Assim que a porta se fechou, me sentei na cama e levei toquei meus lábios. Quando percebi o que estava fazendo, chacoalhei a cabeça e me deitei para dormir.
Seria uma longa noite.

Continua…


Olha só quem acaba de trazer um capítulo de PL diretinho do forno.
Gente, eu tô tãoooooooooooooooo feliz por ter consegui escrever esse capítulo com facilidade que vocês não tem nem noção.
Vocês gostaram? Será que a nossa Skylar ficou balançada com esse beijo? O que será que ela sente em relação a ele?
O capítulo de LTWYL será postado sexta, porque eu preciso arrumar algumas coisas nele. Mas pretendo voltar logo com PL novamente, e dar continuidade a DLM.
É isso, meus amores espero de verdade que tenha gostado!
Até o próximo, fiquem com Deus e beijos de Chanel .
+ 3 comentários.
Visite os blogs da campanha:
Imagine Belieber
Imagine Belieber2
One Dí Dreams
Wonderland Fanfics
Dangerous Love
Imagine Belieber3
Damn and In Love

5 comentários:

Que tal deixar seu comentário?
Isso estimula a autora a continuar e deixa seu dia mais feliz! C:
Aceitamos criticas, sugestões, elogios... Mas nada de ofensas, viu?
Seus comentários poderão ajudar no desenvolvimento do blog. Nos avise no caso de algum link errado!